sábado, março 24

Limitada humanidade

'Ah, quanta vez, na hora suave
em que me esqueço,
vejo passar um voo de ave
e me entristeço!

Porque é ligeiro, leve, certo
no ar de amavio?
Porque vai sobre o céu aberto
sem um desvio?

Porque ter asas simboliza
a liberdade
que a vida nega e a alma precisa?
Sei que me invade

um horror de me ter que cobre
como uma cheia
meu coração, e entorna sobre
minh'alma alheia

um desejo, não de ser ave,
mas de poder
ter não sei quê do voo suave
dentro em meu ser.'
F. Pessoa

Como aquele obscuro escriturário que guardava rebanhos fora de horas (salvas as devidas distâncias, é claro) sento-me a olhar o voo das aves e o abrir das flores.

Porque é característico do ser humano:
  • o ser limitado
  • o ser parcialmente cego e adormecido
  • procurar
  • ...