sábado, fevereiro 24

Impermanência

Seguindo, experimentando sincronias...

'O fortuna velut luna statu variabilis...'
'Ó fortuna, és mutável como a lua...'
(Versos iniciais da Carmina Burana, um conjunto de canções profanas da idade média constituindo uma parábola da vida humana exposta a constante mudança. (wikipédia))

A roda da fortuna, tempo das diferentes coisas... nomes diferentes para a mesma natureza mutável do universo das coisas e dos homens.

Lembra...

... que o tempo não é nosso ...
... que a fortuna não é nossa ...
... que as coisas, as pessoas, a segurança, tudo o que achamos que possuímos não são nossos.

Passam por nós.
São dádivas como os dias de sol e a brisa suave dos dias de Primavera.
São provações como os dias maus e tempestuosos.
Ensinam-nos quem somos, para além do óbvio, exterior e mutável. Sim, ensinam-nos a ser livres!

5 Comments:

Blogger Avusa said...

Que aquilo que por nós passa, nos traga muita paz e sabedoria para lidar com as adversidades.

Que a impermanência dos factos nos ensine a lidar com a impermanência da vida.

bjs

2/26/2007 10:04 da manhã  
Blogger sa.ra said...

:)
Assim seja Caminhante!
Assim seja Avusa!
com entrega e humildade para saber olhar e ver, ouvir e escutar, sentir e acolher, aceitar e transformar!

beijos
dia mt feliz!

2/26/2007 1:18 da tarde  
Blogger caminhante said...

Obrigada pela partilha amigos!

2/26/2007 6:50 da tarde  
Blogger cris said...

bonito :o)

2/28/2007 12:54 da tarde  
Blogger Rosa Brava said...

Uma das composições de Carl Orff que mais gosto de ouvir... Carmina Burana.

Gostei de te ler.

Um abraço ;)

3/07/2007 7:05 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home